A violação de direitos da população em situação de rua e a violência simbólica: representação discursiva no jornalismo on-line

Viviane De Melo Resende

Resumen


En este trabajo, que forma parte del proyecto de investigación integrado titulado “Representação midiática da violação de direitos e da violência contra pessoas em situação de rua no jornalismo on-line”, asociado a la REDLAD, me centro en un par de noticias publicadas por Folha de S. Paulo (folha.uol.com.br) en junio de 2013. Los artículos abordan una controversia con respecto a la instalación de un Centro Social en un barrio de clase media en São Paulo. Basado en la teoría y la práctica del Análisis Crítico del Discurso (Chouliaraki y Fairclough 1999, Fairclough 2003, Ramalho y Resende 2011), uso las siguientes categorías para el análisis de los textos: la representación de los actores sociales (van Leeuwen 1997), la intertextualidad (Fair-clough 2003) y la metáfora (Lakoff y Johnson 1980). El análisis indica la presencia de discursos prejuiciados con respecto a la población en situación de calle y el uso estratégico de las voces articuladas.

Palabras clave


análisis crítico del discurso; situación de calle; periodismo en línea; representación

Texto completo:

PDF

Referencias


BAKHTIN, M. 1997 [1953]. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes.

BAKHTIN, M. 2002 [1929]. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec.

BHASKAR, R. 2008. Dialectic: the pulse of freedom. London: Routledge.

BOURDIEU, P. 1998. Contrafogos: táticas para enfrentar a invasão neoliberal. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

BRASIL. 2008. Sumário executivo da pesquisa nacional sobre a população em situação de rua. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome; São Paulo: Meta Instituto de Pesquisa de Opinião.

BUARQUE, C. 2003. O que é apartação: o apartheid social no Brasil. São Paulo: Brasiliense.

CHOULIARAKI, l. e FAIRCLOUGH, N. 1999. Discourse in late modernity. Edinburgh: Edinburgh University Press.

COLIN, D. 2013. Olhares sobre a construção da Política Nacional para a população em situação de rua. Comunicação apresentada no “Seminário Brasil – União Europeia para Promoção e Proteção dos Direitos da População em Situação de Rua”. Brasília, julho de 2013.

DEJOURS, C. 2003. A banalização da injustiça social. Rio de Janeiro: FGV Editora.

FAIRCLOUGH, N. 2003. Analysing discourse: textual analysis for social research. London: Routledge.

FRUGOLI J., H. e SPAGGIARI, E. 2010. [Disponível em: http://www.pontourbe.net/edicao6-artigos/118-da-cracolandia-aos-noias-percursos-etnograficos-no-bairro-da-luz#_ftn13]. Da cracolândia aos nóias: percursos etnográficos no Bairro da Luz. In Ponto Urbe, 6. [Acesso em outubro de 2013].

GRAMSCI, A. 1995. Concepção dialética da história. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira.

HALLIDAY, M. A. K. 1985. Introduction to Functional Grammar. London: Edward Arnold.

IAKOFF, G. e JOHNSON, M. 1980. Metaphors we live by. Chicago: The University of Chicago Press.

MARTIN, J. e WHITE, P. 2005.The language of evaluation: appraisal in English. Hampshire; New York: Palgrave Macmillan.

MONTECINO, L. A. e ARANCIBIA, M. C. 2013. Representaciones discursivas en comentarios de blogs de ciberperiódicos chilenos. Cadernos de Linguagem e Sociedade, 14: 278-304.

NASCIMENTO, E. P. 2003. Dos excluídos necessários aos excluídos desnecessários. In M. Bursztyn (ed.). No meio da rua: nômades, excluídos e viradores. pp. 56-87. Rio de Janeiro: Garamond.

ONU, Organização das Nações Unidas. 2013. [Disponível em: http://www.un.org/Conferences/habitat/unchs/press/women.htm]. Habitat. 100 million homeless in world. Most are women and dependent children. [Acesso em julho de 2013].

PARDOABRIL, N. G. 2008. ¿Que nos dicen?¿Que vemos?¿Que és... pobreza?Bogotá: Universidad Nacional de Colombia.

PARDOABRIL, N. G. 2013. Construcción simbólica de la pobreza. Representación mediática de la violación de derechos en la prensa digital. Projeto de pesquisa inédito. Bogotá.

PARDO, M. L. 2011. Teoría y metodología de la investigación lingüística. Método sincrónico-diacrónico de análisis lingüístico de textos. Buenos Aires: Editorial Tersites.

PARDO, M. L. 2012. Asociación discursiva entre pobreza y delito en un programa televisivo reproducido en YouTube. In N. G.

PARDO ABRIL. Discurso en la web: pobreza en YouTube, pp. 270-294. Bogotá: Universidad Nacional de Colombia.

RAMALHO, V. e RESENDE, V. M. 2011. Análise de discurso (para a) crítica: o texto como material de pesquisa. Campinas: Pontes.

RESENDE, V. M. 2006. Interdiscursividade em uma interação etnográfica no Movimento Nacional de Meninos e Meninas de Rua: uma análise discursiva crítica. Trabalho apresentado no Primer Coloquio Internacional de la Red Latinoamericana de Análisis Crítico del Discurso de la Extrema Pobreza - RE-DLAD. Buenos Aires.

RESENDE, V. M. 2009a. Análise de Discurso Crítica e Realismo Crítico: debates interdisciplinares. Campinas: Pontes.

RESENDE, V. M. 2009b. ‘It’s not a matter of inhumanity’: a critical discourse analysis of an apartment building circular on ‘homeless people’. Discourse & Society, 20 (3): 363-379.

RESENDE, V. M. 2012. Representação discursiva de pessoas em situação de rua no Caderno Brasília: naturalização e expurgo do outro. Linguagem em (Dis)Curso, 12: 439-465.

Resende, V. M. e Ramalho, V. 2006. Análise de Discurso Crítica. São Paulo: Contexto

RESENDE, V. M. e SANTOS, A. 2013. Inequality and representation: Critical discourse analysis of news coverage about homelessness. In C. M. Pascale (ed.). Social inequality & the politics of representation: a global landscape, pp. 21-34.Washington: Sage.

RESENDE, V. M. e SANTOS, A. A. 2012. A representação de pessoas em situação de rua quando vítimas de chacina: uma análise discursiva crítica. Revista Latinoamericana de Estudios del Discurso, 12 (2): 81-102.

SILVA, D. E. G. 2009. Representações discursivas da pobreza e gramática. D.E.L.T.A., 25: 721-731.

SOARES, M. C. 2011. Os direitos na esfera pública mediática. São José do Rio Preto: Editora Unesp.

SPIVAK, G. C. 2010. Pode o subalterno falar? Belo Horizonte: UFMG.

SWALES, J. M. 1990. Genre analysis: English in academic and research settings. Cambridge: Cambridge University Press.

THOMPSON, J. B. 1995. Ideologia e cultura moderna. Petrópolis: Vozes.

TOSOLD, , L., RUGGI, L. O. e SILVA, R. B. 2013. Aliança pelo Centro Histórico: estratégias discursivas de legitimação dos processos de higienização na cidade de São Paulo. Cadernos de Linguagem e Sociedade, 14: 147-172.

VANLEEUWEN, T. 1997. A representação dos atores sociais. In E. R. Pedro (ed.). Análise Crítica do Discurso: uma perspectiva sociopolítica e funcional, pp. 169-222. Lisboa: Caminho.

VANLEEUWEN, T. 2008. Discourse and practice. Oxford: Oxford University Press.

WODAK, R. 2003. El enfoque histórico del discurso. In R. Wodak & M. Meyer (eds.). Métodos de Análisis Crítico del Discurso, pp. 101-42. Barcelona: Gedisa.




DOI: http://dx.doi.org/10.35956/v.15.n1.2015.p.71-91



Copyright (c) 2016 Viviane De Melo Resende

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Revista Latinoamericana de Estudios del Discurso 
Una publicación de la Asociación Latinoamericana de Estudios del Discurso (ALED)
 
Revista Latino-Americana de Estudos do Discurso
Uma publicação da Associação Latino-Americana de Estudos do Discurso (ALED)
 
revista.raled@gmail.com  
 
e-ISSN2447-9543

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.